Gilberto Cipullo

Entrevista concedida em 05/11/2009

Voltar

 

Assunto Revista Placar

Palmeiras Todo Dia: A edição de novembro/09 da Revista Placar traz algumas informações sobre a situação financeira do Palmeiras; a reportagem dá a entender que o clube está fazendo "loucuras" para ser campeão brasileiro. Isso procede?

Gilberto Cipullo: A matéria foi realizada por pseudo jornalistas, que não gozam de credibilidade no mercado.
Estamos fazendo esforços para  que o Palmeiras seja campeão, sim. Porém, dentro dos padrões de responsabilidade que têm
pautado nossa gestão.
É importe frizar que o departamento de futebol do Palmeiras teve superávit em 2007 e 2008. Em 2009 não teremos porque optamos
por manter os jogadores. Entretanto, o déficit  será pequeno, em comparação com as receitas e despesas do departamento.

PTD: A mesma edição informa que o atacante Vagner Love foi contratado com um dinheiro que jamais chegou. O que há de verdade nisso? O salário do Love está dentro do padrão do futebol brasileiro? (a reportagem diz que ele ganha 400 mil)

GC: A contratação foi feita sem contrapartida financeira. Apenas abrimos mão de um percentual de 5% (o total era 10%) que o Palmeiras terá  sobre o lucro, em uma eventual venda futura do atleta, se ocorrer.

Não confirmamos salário de jogador. Apenas tranquilizo a torcida, no sentido de que não estamos fazendo nenhuma loucura, e o
ambiente entre os jogadores é perfeito.

PTD: De acordo com a matéria, o volante Pierre foi comprado duas vezes pelo Palmeiras. Como isso teria ocorrido? O clube foi prejudicado?

GC: Mais uma informação dolosa.
O Palmeiras comprou, inicialmente do Paraná, 50% dos direitos. Já tínhamos revendido com lucro 30%.
Assim, o Palmeiras tinha 20% e agora  recomprou os 30% que havia vendido, e mais os 50% que nunca teve.

PTD: Na mesma reportagem informam que a Traffic manteria a postura recentemente adotada e não negociaria os principais jogadores do clube na janela de transferências de janeiro/2010. De acordo com a matéria, o Sr. teria dito isso. Há esse novo acordo?

GC: Não conversei com os jornalistas que fizeram a matéria e não disse isso. Se tivermos propostas em janeiro de 2010, vamos estudar em conjunto com a Traffic para tomarmos a decisão. Mas não existe compromisso de não negociar jogadores em janeiro.

PTD:
 A Revista Placar estampou em destaque no decorrer na matéria: "O Palmeiras já deve mais de 10 milhões de reais para a Traffic". Ainda comentam que o clube possui uma "conta corrente" com a empresa. O que há de verdade nisso?

GC: Nós temos um  conta corrente, sim. Não vejo nada demais. Nesta conta, são debitados os valores que a empresa eventualmente nos adianta, e creditados os valores a que o Palmeiras faz jus pela venda dos jogadores. O número citado na matéria não tem o menor fundamento.

PTD: Segundo os jornalistas que fizeram a reportagem, apenas cinco jogadores do atual elenco pertencem 100% ao Palmeiras. Até que ponto essa situação é real e como poderia ser prejudicial ao clube? Quantos são os jogadores que têm seus direitos divididos entre Palmeiras e parceiros?

GC: Praticamente nenhum clube tem 100% de seus jogadores. Verifiquem o site do Corinthians. O São paulo, Santos, Inter, não são diferentes.
As parcerias se constituem em uma de se reforçar o time sem investir valores altos.
Nossa diferença é que temos um parceiro declarado, estruturado e forte.
Claro que o objetivo é cada vez mais termos jogadores formados no clube. Para isto estamos investindo forte nas equipes de 
base. Mesmo assim penso que não devemos abrir mão de parceiros fortes como a Traffic.

PTD: O ex-presidente Mustafá Contursi, entrevistado na matéria, afirma que se na sua época o time era medíocre, pelo menos os jogadores eram do Palmeiras. Na época do Mustafá os atletas não pertenciam em sua maioria à Parmalat? Qual a razão da crítica então?

GC: Na máquina montada em 1996, ao que me lembro apenas dois jogadores eram do Palmeiras.
Pergunto: não é melhor ter participação menor do que 100% em bons jogadores, do que ter 100% de jogadores medíocres?
Quando assumimos o Palmeiras, em 2006, apenas dois jogadores do elenco tinham mercado, o Valdivia e o Diego Cavallieri. E o
Palmeiras tinha 100% de vários jogadores...

PTD: A edição informa que 8 jogadores tiveram seus salários reajustados em função da renovação de Pierre. Haveria ainda, de acordo com a Revista Placar, atletas descontentes no elenco em função disso. É verdade?

GC: Reajustamos sim os salários de vários jogadores. É comum você reajustar jogadores que abrem mão de sair do clube para o exterior. Reajustamos outros que entendíamos fazer por merecer. Não existe descontentamento porque os jogadores sabem que tomamos a iniciativa de fazer reajustes quando o jogador faça por merecer e antes que ele o peça.

PTD: "Opositores" ocultos teriam dito à reportagem que a política financeira da gestão Belluzzo, apelidada de "Belluzzionismo" consiste em primeiro gastar para depois ir atrás de receita. O que comentar sobre isso?

GC: Grande bobagem. Todos sabem que pegamos o clube em situação financeira dificil e que você não consegue consertar em pouco tempo. Importante frisar que nossa receita de patrocínio triplicou em dois anos. Os gastos são feitos de acordo com as necessidades e as disponibilidades. O problema é  o serviço da dívida que foi encontrada.

PTD: Como a diretoria da Sociedade Esportiva Palmeiras entendeu a reportagem da Revista Placar? Se foi válida, inoportuna, etc.

GC: Não posso entender como válida, uma matéria que distorce  a realidade e que é veiculada no momento decisivo do Campeonato.

Entendo que é má-fé e os palmeirenses devem boicotar essa mídia.

Outros assuntos

PTD: Na semana que antecedeu o jogo contra o Goiás, o Palmeiras teve de se deslocar para Atibaia pois na Academia de Futebol ainda não há hotel nem refeitório. O projeto de transformar o ginásio em hotel foi adiado?

GC: Não. Estamos trabalhando na busca de parceiros, porquanto é uma obra bastante cara. Mas vamos fazê-la

PTD: Dos jogadores emprestados até dezembro, casos por exemplo de Danilo, Obina e Ortigoza, já há negociação em curso para renovação?

GC: Não. Vamos iniciá-las depois do termino do Campeonato.

PTD: O técnico Muricy Ramalho completará contra o Fluminense 1 turno no comando do Palmeiras. Após esse período já é possível fazer uma avaliação sobre o seu trabalho? Uma eventual não conquista do Brasileiro (toc toc toc!) interfere nos planos traçados?

GC: O Muricy é um vencedor e o  trabalho é bom. A não conquista do Campeonato em nada alterará os planos para 2010.

PTD: O meia Valdivia declarou recentemente que quer jogar a Libertadores de 2010 pelo Palmeiras. Já há ou haverá alguma negociação com o Al-Ain para o Mago vir por empréstimo?

GC: Não acho fácil o time liberar o jogador. Mas somente vamos tratar do assunto, se for o caso, depois do dia 6 de dezembro.

PTD: Em relação a Kléber, existe a possibilidade dele retornar em 2010?

GC: É a mesma situação. Vamos estudar, se for o caso, depois do dia 6 de dezembro.

PTD: Como fica a situação entre Palmeiras e Traffic a partir do momento que a empresa firma parceria com outros clubes, como o Cruzeiro, por exemplo? O Palmeiras terá prioridade nas negociações?

GC: Esta questão estava negociada desde o inicio. A Traffic nos avisou que faria acordos com outros clubes em outros estados. De qualquer forma, o Palmeiras será sempre o primeiro time a ser consultado.

PTD: É verdade que o Palmeiras não quis contar com o futebol do meia Fernandinho, do Barueri (comprado pela Traffic)?

GC: É verdade. Nossa comissão entendeu que, apesar de muito bom jogador, exerce uma função, que não é nossa prioridade.

PTD: O programa de sócio-torcedor será lançado quando?

GC: Provavelmente nos próximos quinze dias. Ressalvo que é um projeto, do qual não participo diretamente.

PTD:
 No nosso fórum de discussão estamos mantendo atualizado um tópico sobre erros de arbitragem cometidos contra e a favor do Palmeiras no Brasileirão. Sendo imparciais e adotando o mesmo critério tanto para o certo quanto para o errado, já contabilizamos 15 pontos perdidos contra apenas 6 pontos ganhos; o saldo está negativo em 9 pontos. Como a diretoria do Palmeiras lida com tantos erros de arbitragem? O que fazer para tentar melhorar essa situação?

GC: O nível da arbitragem está muito ruim em relação a todos. Entretanto, discordo dessa contabilidade (rsrsrsrs).

PTD: O afastamento de dos titulares do Barueri apenas para o jogo contra o São Paulo não mereceria uma investigação mais profunda?

GC: Creio que sim. Porém, penso que seja um assunto difícil de provar. E de qualquer forma, o Palmeiras não tem legitimidade jurídica para agir.

PTD: O Palmeiras é contra ou a favor da volta do mata-mata no Brasileirão, sugerido pela Rede Globo?

GC: Entendemos que o sistema de pontos corridos é o mais justo.E para as equipes bem estruturadas não é ruim financeiramente.
 
PTD: Qual estágio atual da burocracia envolvendo a Arena Palestra Itália?

GC: Estamos caminhando bem. A expectativa é que consigamos todas as aprovações até janeiro de 2010

PTD: Quando o Palestra deve ser fechado para as reformas?

GC: De acordo com o cronograma de obras, no final de maio de 2010.

Nota da admin: apenas usuários cadastrados podem comentar

 
 ACESSO RÁPIDO
 

 

 
 
 
ENQUETE
 
Untitled Document
 
 
 

Palmeiras Todo Dia - O Site Oficial do Torcedor Palmeirense!