CÓLERA E HIPOCRISIA ( 12/06/2017 )
 


Cada um tem a liberdade para imaginar a virada palestrina ou fracasso, da forma que melhor lhe aprouver. Eu falo do "Brasileiro" e confio na virada, porque a qualquer momento a lógica será inevitável. Como diria Charles Chaplin (1889-1997): "[Assim como a morte, a vida também é inevitável]".

Alguns entendem que paulatinamente voltaremos ao ritmo imposto durante a "temporada 2016" e através de vitórias pontuais, alcançadas em momentos-chave do campeonato, incomodaremos os concorrentes que melhor se aproveitem do foco sobre uma única disputa.

Entretanto há outros que preferem a cólera e o sangue alviverde nos olhos. Algo como aquecer as linhas para competições alvo.

Pelas vias normais ou estratégicas, o importante é vislumbrarmos uma "Sociedade" confiável e competitiva. A mesma que continua incomodando e sendo analisada pelo viés dos hipócritas.

Hipócrita é um autêntico dissimulador. Pensa e fala coisas totalmente distintas.

Dúvidas? Mesmo que por vias indiretas, o hipócrita personifica tudo aquilo que ele gostaria que fosse palpável e verdadeiro.

"[Prass é bom, mas merece a suplência]" - diria um conhecidíssimo desafeto. Permitam-me divergir. Liderança e qualidade jamais merecem desrespeito.

"[Não foi ética e abusou do fator financeiro]" - diria sobre a SEP, um dos inúmeros jogadores aposentados, que hoje interpreta o papel de comentarista. A verdade precisa de mensageiros honestos, que analisem a notícia pela imparcialidade, ontem, hoje e sempre. Pior que a indigesta parcialidade é a falta de conhecimento de causa.

Enfim precisamos de pessoas genuínas, que não omitam o fato verídico e tragam dentro de si a esperança por uma "terra brasilis" fecunda.

Não existem mais "direita e esquerda". Existe o imbróglio venenoso do mal e ele habita inclusive o futebol.

Como clamar por honestidade se "o espelho da sociedade" - o futebol - comete os mesmos erros.



***

O escritor e colunista Catedral de Luz nasceu na turbulenta década de 60 e adquiriu valores entre as décadas de 70 e 80 que muito marcaram sua personalidade, tais como Palmeiras, Beatles, Letras, Espiritismo e História... Amizades... Esposa e Filha.

Os anos 90 ensinaram-lhe os atalhos, restando ao novo século a retomada da lira poesia perdidas.

comments powered by Disqus
acesso rápido
 
 
 
 
 
 
 

Palmeiras Todo Dia - O Site Oficial do Torcedor Palmeirense!