SOB A LIDERANÇA DO PROFETA (21/09/2018)
 


Jogador diferenciado, "Moisés" é o retrato vivo do que há de moderno no futebol quando o assunto é meio de campo. Afinal, competitiva como é a luta pela posse de bola entre as intermediarias, o meio campista não pode exclusivamente atacar ou simplesmente defender. Vale a simbiose entre ambas as funções.

O sucesso de um determinado jogador depende, também, da forma como ele é escalado. Quando o jogo parecia insuportável para o sistema defensivo esmeraldino, "Scolari" reinventou "Moisés" como cabeça de área responsável pela captura de "Valdívia". E não é que ele acabou sendo o melhor marcador do"Mago".

O futebol vive de seus caprichos e "Moisés", pasmem, é um deles. Quando tudo contabilizava o "Profeta Palestrino" como "selecionável", "2017" trouxe um ferimento de batalha que impediu o camisa "10" de brilhar com a camisa amarela.

Entretanto, agora, com a idade avançada - avançada? ("30" anos não é tanto assim) - a temporada acima da média de "Moisés" insiste em colocá-lo entre os mais importantes atletas do time.

Citaria outros jogadores com extrema facilidade, tamanha foi a disciplina tática do time alviverde, mas desta vez pararei no "Profeta". Ele personificou o elenco guerreiro e que surpreendentemente assimilou, em pouco tempo, os conhecimentos do "Mestre".

Com chave de ouro, eu gostaria de fechar este texto e abordar um assunto envolvido em polêmica: "Arbitragem". Administrar interesses, não necessariamente nos impõe usar de ferramentas questionáveis. Você não precisa "roubar" para vencer. Porém, você pode evitar o "mal juiz" ou, na pior das hipóteses, "árbitros influenciáveis pelos ares caseiros - e aí é nítido que "arbitragens classe A" não se deixam intimidar. Imaginem só, fosse outro apitador, de um país periférico e teríamos dificuldades maiores, iguais aos mineiros.

Teriam "Galiotte" e "Mattos" aprendido o "caminho das pedras"?



***

O escritor e colunista Catedral de Luz nasceu na turbulenta década de 60 e adquiriu valores entre as décadas de 70 e 80 que muito marcaram sua personalidade, tais como Palmeiras, Beatles, Letras, Espiritismo e História... Amizades... Esposa e Filha.

Os anos 90 ensinaram-lhe os atalhos, restando ao novo século a retomada da lira poesia perdidas.

comments powered by Disqus
acesso rápido
 
 
 
 
 

Palmeiras Todo Dia - O Site Oficial do Torcedor Palmeirense!