A ESCOLHA POR QUEM TORCER (12/03/2014)
 


A escolha por quem torcer nasceu por influência de meu pai. Eu não entendia de futebol - talvez continue não entendendo - mas o respeito e confiança nas palavras paternas  fizeram um serviço adequado.

Assim como a arte de beijar pela primeira vez, alguma coisa naquele clube de origem italiana favorecia meus instintos mais selvagens. Era o desejo de ser alviverde e fazer parte da massa palestrina.

As primeiras lições foram identificar a camisa e o nome dos jogadores. Lembro-me que o jogador de número Dez - maiúsculo, porque ele não era um atleta comum - impressionou-me pela elegância e domínio de bola. Alguma coisa nele diferenciava-o dos demais.

Ao contrário do "Divino", o jogador de número cinco preferia ser um mero coadjuvante. Ser driblado não lhe causava constrangimento. O importante para ele era fazer o melhor possível - Dudu frequentemente era votado entre os
três melhores em campo.

Entretanto, eu preferia ser artilheiro; amava a camisa de número nove; idolatrava César - Ave César! O mundo era verde, graças ao caos produzido pela irreverência de um maluco.

Poderia mencionar outros mais - Chevrolet, Leiva . - ,  mas o objetivo não é passar pelos nomes e derramar lágrimas. Louvá-los? Talvez!

A escolha por quem torcer, vocês sabem muito bem como começou.  Embora meu pai fosse fundamental, a magia do manto sagrado superou qualquer lavagem cerebral.

Acompanhar a história da Sociedade Esportiva Palmeiras é o mesmo que acompanhar nossa própria história. Ambas fundem-se harmoniosamente.

Torcer pela maravilhosa "Academia" é o mesmo que negar o populismo venenoso e a oligarquia oportunista. A "Sociedade" atreveu-se a ser alternativa frente aos antagonistas.

Assim sendo, quando houver dúvidas sobre merecer ou não participar do grupo dos maiores, sorria e durma tranquilo. A "Sociedade" merece tanto quanto os outros.

A despeito dos treze jogos disputados até aqui e do charme que representa conquistar o "Estadual", a temporada começa hoje, quarta-feira, frente ao Vilhena de Rondônia, norte do país.

Longe de tudo e de todos e tendo como maior obstáculo a logística de uma cansativa viagem, a SEP inicia seu percurso menos turbulento rumo à hegemonia da América.

É nesta hora que os homens se separam dos meninos e a coragem é registrada de forma singular.

A "Sociedade" mais uma vez é abraçada por sua entusiasta coletividade.

A escolha por quem torcer? Claro, cem vezes Sociedade Esportiva Palmeiras.

E ponto final!




***

O escritor e colunista Catedral de Luz nasceu na turbulenta década de 60 e adquiriu valores entre as décadas de 70 e 80 que muito marcaram sua personalidade, tais como Palmeiras, Beatles, Letras, Espiritismo e História.... Amizades ... Esposa e Filha.

Os anos 90 ensinaram-lhe os atalhos, restando ao novo século a retomada da lira e poesia perdidas.

Visite o nosso espaço eletrônico, "À LUZ DA CATEDRAL" -
www.catedraldeluz.blogspot.com


comments powered by Disqus
acesso rápido
 
 
 
 
 

Palmeiras Todo Dia - O Site Oficial do Torcedor Palmeirense!