Palmeirenses online  
    .: PTD
  Página Inicial
  Fórum
  PTD no Twitter
  PTD no Facebook
  PTD Mobile
  PTD na mídia
  Quem somos
  Publicidade
  Fale com o PTD
  Webmail
    .: Seções
  Colunistas
  Vídeos
  O Setorista
  Ranking PTD
  Galeria PTD
  Enquetes
  PTD Ao Vivo
  Bolões livres
  Diversão
  Multimídia
  Especiais
  Promoções
  Entrevistas
  Papel de Parede
  Parceiros
    .: Palmeiras
  Notícias
  Campeonatos
  Dados e Jogos
  Elenco
  Comissão técnica
  História
  Estatísticas
  Uniforme
  Academia
  Títulos
  Rivalidade
  Curiosidades
  Ídolos
  Hino
Relembre abaixo os principais acontecimentos da temporada.
   

O ano começou com o Palmeiras definindo sua nova diretoria. Com 158 votos, Arnaldo Tirone Filho derrotou Paulo Nobre e Salvador Hugo Palaia e foi o eleito para suceder Luiz Gonzaga Belluzzo. Tirone também conseguiu eleger todos vices, dentre eles Roberto Frizzo, que assumiu o comando do futebol.


A eleição de Tirone aconteceu já com o Paulistão em andamento. No campeonato regional, com poucos reforços, o time comandado por Luiz Felipe Scolari começou empatando em casa com o Botafogo, mas depois deslanchou e só não foi dono da melhor campanha da fase classificatória porque escolheu enfrentar o Mirassol nas quartas de final, perdendo portanto o último jogo da primeira fase para a Ponte Preta, em Campinas.

Com uma vitória por 2 a 1, o Verdão avançou e enfrentou o Corinthians na semifinal, mas acabou eliminado nos pênaltis após atuação desastrosa de Paulo César de Oliveira no tempo regulamentar. O árbitro expulsou Danilo e Felipão, e deixou de expulsar Liédson, interferindo diretamente no resultado da partida.

   

Antes de ser tirado do Paulistão por PCO, o Palmeiras já havia disputado cinco partidas da Copa do Brasil e eliminado três adversários: Comercial do Piauí, Uberaba e Santo André. Focado em apenas uma competição, o Verdão tinha a chance de tentar um título ainda no primeiro semestre, mas não esperava enfrentar o motivado Coritiba.

   

Embalado por uma sequência de mais de 15 vitórias seguidas, a equipe paranaense atropelou o Palmeiras no Couto Pereira: 6 a 0. No jogo de volta restou ao elenco atuar com dignidade, mas a vitória por 2 a 0 não apagou o vexame.

Fora do Paulistão e da Copa do Brasil, restava o Brasileirão e a Copa Sul-Americana, que iniciaria apenas três meses depois.
 

Sob a desconfiança da torcida, o Palmeiras estrou no nacional no dia 22/05 com uma vitória por 1 a 0 sobre o Botafogo. Nas rodadas seguintes o time seguiu bem e só foi conhecer a primeira derrota na sexta rodada, contra o Ceará, fora de casa. A essa altura, o atacante Kleber já começava a provocar uma crise.


Com uma proposta do Flamengo, o camisa 30 provocou uma série de situações para forçar o clube a negociá-lo. O então ídolo de parte da torcida criticou publicamente companheiros, comprou uma briga com Felipão via Twitter e até simulou contusão a fim de não realizar a sétima partida no campeonato, o que o impossibilitaria de defender outra equipe da Série-A.

 

Disposto a não abrir mão de seu artilheiro, o Palmeiras recusou a proposta da equipe carioca e Kleber acabou fazendo o sétimo jogo justamente contra o Flamengo, no Pacaembu, mas o relacionamento dele com a torcida, com Scolari e com os próprios companheiros já estava abalado. E todos mal sabiam que o pior ainda estava por vir...

 

Apesar dos problemas causados por Kleber, o Palmeiras até conseguiu terminar bem o turno ao derrotar o Corinthians por 2 a 1, em Presidente Prudente, mas nesse meio tempo o time já havia sido eliminado da Copa Sul-Americana ao perder o primeiro jogo para o Vasco por 2 a 0. Na segunda partida, a vitória por 3 a 1 não garantiu a vaga por causa do gol carioca anotado fora de casa; e foi um gol absolutamente improvável, numa bomba de Jumar que acertou o ângulo esquerdo de Marcos.

Restava ao Palmeiras o returno do Brasileirão. O objetivo era conquistar uma vaga na Libertadores de 2012, e a colocação final da equipe no turno (quinto colocado, a 5 pontos do líder), permitia à torcida sonhar. Mas o sonho desmoronou rapidamente, na mesma velocidade que a crise provocada por Kleber se agravou.

Se no turno o time de Felipão só foi perder contra o Ceará, na sexta rodada, a primeira vitória da segunda metade do campeonato surgiu contra a equipe ceaense, e foi com um gol contra, num sofrível 1 a 0.

Depois disso, o Palmeiras amargou 10 rodadas seguidas sem vitória, e chegou a ver a zona de rebaixamento bem de perto, mas a vitória por 2 a 0 sobre o Bahia, na antepenúltima rodada do Brasileirão, afastou de vez o risco de queda. Coincidentemente, o time só voltou a se encontrar após negociar Kleber com o Grêmio. Quando deixou o clube, o atacante já estava afastado após ter brigado com Felipão para "defender" o volante João Vítor, envolvido numa briga com alguns "torcedores".

Nas duas últimas rodadas do Brasileiro, em dois clássicos regionais, uma vitória por 1 a 0 sobre o São Paulo e um empate com o Corinthians fizeram a temporada acabar de uma maneira não tão trágica, mas absolutamente frustrante.


Veja os números completos da temporada - Clique aqui
Veja os gols de todos jogos de 2011 - Clique aqui
Confira o que de melhor e de pior aconteceu na temporada de acordo com os leitores do PTD - Clique aqui

 

Fora das quatro linhas: De positivo em 2011, apenas notícias relacionadas à Arena Palestra Itália. As obras, depois de uma paralisação de 3 dias em função de um desentendimento de Tirone com a WTorre, seguiram em ritmo acelerado. A parceria com a AEG, gigante mundial do ramo de entretenimento, também foi

bastante comemorada pela torcida.

No final do ano, a contratação de César Sampaio para ocupar o cargo de gerente remunerado de futebol, fez a torcida se animar um pouco e projetar um 2012 melhor. Será?

Abaixo em imagens, personagens positivos e negativos de 2011.


Eduardo Luiz
Equipe Palmeiras Todo Dia

O Site Oficial do Torcedor Palmeirense

  .: Autenticação
Usuário:
Senha:
  
Salvar senha
  .: Enquete PTD
  Untitled Document
  .: Acesso Rápido

 
  .: Apoio